Imprimir

Proposição sugere estudo para construção de um cemitério vertical biosseguro

Escrito por Comunicação Câmara EM .

Configuração do Tamanho do Texto

iconeobras

Outra proposta discutida e votada na Câmara foi a Indicação nº 289/2017, de autoria do Vereador Leandro Prock Valério, que sugere ao Prefeito “providenciar, para o cemitério municipal, um estudo que viabilize a construção de um cemitério vertical biosseguro, que consiste na construção de gavetas mortuárias, com durabilidade superior a 50 anos, feitas de fibra de vidro e resina de garrafas pet”.

 

“A grande vantagem desse sistema é a questão do espaço, além do fator ecológico, pois a decomposição de corpos pode contaminar o solo e com este sistema (caixas de fibra) isso não ocorre. Além disso, as gavetas possuem dispositivos que permitem a troca gasosa, propiciando a decomposição. Um filtro também promete não poluir o ar. A pressão, a temperatura e a umidade de cada túmulo são monitoradas para evitar possíveis vazamentos. Existe, neste caso, uma rotatividade, pois os restos mortais ficam nas gavetas por um determinado período e, em seguida, são levados para um ossuário com identificação, solucionando o problema do espaço, sendo ainda facultado às famílias optarem por sepulturas tradicionais. Trata-se de uma solução sustentável e inovadora, que levo ao conhecimento do Sr. Prefeito como uma sugestão para a melhoria da prestação de serviços à comunidade local”, ressaltou a justificativa.

 

A proposição, aprovada por unanimidade, deve ser encaminhada ao Prefeito para estudo de viabilidade.