Imprimir

Indicação propõe medidas para a Reserva Biológica Engenho Velho

Escrito por Comunicação Câmara EM .

Configuração do Tamanho do Texto

iconemeioambiente

 

A Câmara deve encaminhar nos próximos dias a Indicação nº 288/2017, de autoria dos Vereadores Leandro Prock Valério e Paulo Henrique Furtado, que sugere ao Prefeito medidas para a proteção e conservação da reserva Biológica Engenho Velho. A Indicação foi aprovada por unanimidade na sede do Legislativo. Confira o texto do documento:

 

Indicação nº 288/2017

 

Buscando a preservação da Reserva Biológica do Engenho Velho, estudar as seguintes providências:

a) registrar a Reserva como “Parque”, a fim de permitir a visitação pública, pois atualmente só é permitida para instituições oficiais de pesquisas;

b) buscar parcerias com empresas privadas, podendo citar as empresas agropecuárias, para o desenvolvimento de projetos ambientais e educacionais;

c) estruturar a reserva como “parque ecológico”, com vistas a um centro de lazer, pesquisa e visitação pelas escolas de níveis fundamental, médio e superior.

 

JUSTIFICATIVA: A Reserva Biológica do Engenho Velho dispõe de 3 nascentes que abasteciam a cidade. A região é classificada como campos de altitude e florestas. A reserva compõe-se de vasta flora, podendo citar jacarandá, peroba, cedro, jequitibá, óleo, aroeira, candeia, guatambu. A fauna é composta por cobras (cascavel e coral), lobo, onça, raposa, preguiça, veado, gambá, pássaros diversos e outros animais.

Foi adquirira em 1913 e criada pela Lei Municipal n° 1.062, de 14/11/1984, como Unidade de Conservação, considerada de proteção integral, com objetivo básico de fornecer proteção total dos atributos naturais efetuando-se a preservação dos ecossistemas em estado natural, com o mínimo de alterações, sendo admitido apenas o uso indireto de seus recursos (fauna, flora e hídrico).

Como atualmente não permite utilização pública e nem uso da área para qualquer tipo de cultura, excetuando-se pesquisas científicas, educacionais e culturais, previstas em lei, com essas alterações será possível a disponibilização para visitações públicas e o desenvolvimento de projetos que beneficiem o meio ambiente, a comunidade escolar e a sociedade, podendo se transformar em um centro de referência ambiental e educacional.