Imprimir

Proposição sugere medidas para o combate ao greening – doença que ataca a citricultura

Escrito por Comunicação Câmara EM .

Configuração do Tamanho do Texto

iconesugestao

 

A Prefeitura deve receber nesta semana, a Indicação de nº 124/2017, de autoria do Vereador Leandro Prock Valério que sugere à Prefeitura “tomar as providências, urgentes e necessárias, visando o combate ao ‘greening’, que é a doença mais grave e destrutiva dos citros que pode colocar fim à citricultura em nosso município”. 

 

A proposição enumera as providências sugeridas:

 

Sugestões apresentadas

 

01

 

Proceder, através do Departamento de Agricultura, integrado com IMA, Emater, Poder Legislativo e cidadãos e produtores rurais, o levantamento e a diagnose da presença da doença;

 

 

02

 

Consolidar medidas na legislação municipal com a proibição da entrada de qualquer material vegetal oriundo de áreas infectadas e estabelecer os critérios para a aquisição de mudas sadias, que seguem a legislação fitossanitária;

 

 

03

 

Prover o Departamento de Agricultura de meios suficientes para uma efetiva fiscalização, interceptação e destruição do material aprendido;

 

 

04

 

Estabelecer medidas de controle, como inspeção do pomar e monitoramento constante;

 

 

05

 

Realizar o controle químico do vetor, com a aplicação de inseticidas.

 

 

Segundo a justificativa apresentada pelo autor, “o controle ao Greening deve ser realizado de maneira integrada, no campo e na cidade, uma vez que quase todas as plantas cítricas presentes no perímetro urbano se encontram contaminadas por esta doença. Para um controle eficiente, deve ser montada uma força tarefa, onde Prefeitura, IMA, EMATER, Legislativo, Cidadãos e Produtores Rurais, participem com foco no controle desta doença que pode erradicar a citricultura do município, e consequentemente com milhares de serviços e com o sustento de milhares de famílias. De acordo com a FUNDECITRUS-FUNDO DE DEFESA DA CITRICULTURA, o Greening é a mais destrutiva doença dos citros no Brasil. Não há variedade comercial de copa ou porta-enxerto resistente à doença e as plantas contaminadas não podem ser curadas. As bactérias causadoras da doença são transmitidas às plantas pelo insetor vetor e, tanto as bactérias quanto o psilídeo também são encontrados na planta ornamental, conhecida como falsa-murta”.

A proposição ainda traz outros aspectos sobre a doença e suas consequências. “As árvores novas contaminadas pelo greening não chegam a produzir e as que produzem sofrem uma grande queda de frutos. Os pomares com alta incidência da doença devem ser totalmente eliminados porque praticamente todas as plantas, inclusive as sem sintomas, devem estar contaminadas. Talhões com incidência superior a 28% de plantas com sintomas devem ser totalmente eliminados. Por se tratar da maior ameaça à citricultura que se tem notícia e, considerando que o nosso município vem se tornando grande produtor de citros, venho solicitar ao Sr. Prefeito que tome medidas efetivas de combate a essa grave doença”.

 

Votação:

 A proposta foi aprovada por unanimidade dos presentes. Votaram a favor os Vereadores Hamilton Pires de Rezende, Rodrigo José de Carvalho, João Paulo Baena Alves, Nevitom Borges da Costa, Carlos César de Castro, Gilson Cezar Prok, Paulo Henrique Furtado, Edvaldo Lira da Silva e a Vereadora Lourdes Silva de Souza. Ausente à sessão o Vereador Guilherme de Souza Serrano. O Presidente da Câmara Leandro Prock Valério, por força regimental não vota, uma vez que não houve empate.

 

É PERMITIDA A REPRODUÇÃO DESDE QUE CITADA A FONTE.

Fonte: www.camaracampanha.mg.gov.br