Imprimir

Indicação sugere canalização de esgoto que, segundo a proposição, é “lançado nos fundos da Rua Irmã Terezita”

Escrito por André Luiz Ferreira EM .

Configuração do Tamanho do Texto

iconeesgoto

A Câmara aprovou por unanimidade dos presentes, no dia 11 de outubro, a Indicação de nº 147/2016, de autoria do Vereador Leandro Prock Valério, que sugere à Copasa que possa, segundo a proposição, “providenciar a canalização do esgoto proveniente dos bairros Mandu, Chapada, Vila Reis, Thomé e todo Guanabara, conduzindo-o até a parte externa do perímetro urbano, face ao crime ambiental que hoje é fato, pois esse esgoto é lançado nos fundos da Rua Irmã Terezita”.

 

A proposição foi votada em Plenário, com a justificativa documental apresentada pelo autor. “O esgoto proveniente dos bairros acima em referência é lançado numa valeta nos fundos da Rua Irmã Terezita, onde fica retido, caracterizando uma grave situação de ameaça à saúde pública, pois o esgoto fica acumulado a menos de 10 metros das casas e pode levar à proliferação de doenças graves aos moradores locais. Trata-se de um evidente crime ambiental, pois os resíduos do esgoto são lançados diretamente no curso de água sem nenhuma forma de tratamento. O objetivo do presente é que a COPASA canalize este esgoto, conduzindo-o até a parte externa do perímetro urbano, fato este que não evita problemas ambientais, mas pelo menos desonera as pessoas de estarem expostas a várias patologias graves, proveniente de contaminação por esgoto acumulados à porta de suas casas, fato este que se verifica criminoso e desumano com os moradores locais. Ressalto ainda que a  COPASA cobra um percentual de sua conta para COLETA E DESTINAÇÃO DO ESGOTO; sendo assim, não pode jogá-lo na porta da cozinha dos moradores da Rua Irmã Terezita, ou de qualquer outra localidade no município de Campanha. E, como representante público, que busca soluções para os problemas que afetam a comunidade, venho solicitar que seja sanado esse grave problema pela empresa responsável, que é a COPASA”.

 

Votação:

A proposição foi aprovada pela unanimidade dos presentes. Votaram a favor os vereadores Admilson José Ferreira, Antônio Leopoldino Dias, Creone Pagano Sales, Edwirges Rafael dos Reis, João Paulo Baena Alves, Leandro Prock Valério e as Vereadoras Lourdes Silva de Souza e Heloisa Helena Limoeiro Müller.  Ausentes à sessão, os vereadores Antônio Flávio Fonseca Filho, Pedro Messias Alves e Valéria Goulart da Costa.