Imprimir

Requerimento pede informações sobre o Transporte Escolar

Escrito por Comunicação Câmara EM .

Configuração do Tamanho do Texto

iconetransporteescolar 

O Plenário da Câmara aprovou, na noite dessa terça-feira (09/06), por nove votos a favor e um contra, o Requerimento de nº 20/2015, de autoria do Vereador Leandro Prock Valério. A Proposição requer do Prefeito Municipal, segundo seu autor, “informações sobre a ineficiência em relação ao transporte escolar no Município da Campanha, nos âmbitos urbano e rural, notadamente no que tange ao transporte escolar realizado para buscar os alunos do meio rural, penalizando essas crianças que, em sua maioria, têm idade inferior a 12 anos”.

O autor do Requerimento ainda afirma na proposição alguns aspectos. Segundo ele “a precariedade do transporte escolar no âmbito rural se verifica em um nível que não pode continuar, pois os alunos e familiares têm nos procurado através de ligações telefônicas, acesso à redes sociais e mensagens de textos via celular sobre as constantes vezes em que o transporte não aparece para buscar os alunos”. O Vereador ainda salienta na proposição que “o morador do meio rural vive em uma realidade muito diferente do cidadão que reside no perímetro urbano, pois a maioria das crianças levantam antes da 05:00 horas da manhã para se dirigirem até o ponto de ônibus à espera do transporte”.

A proposição ainda enumera outros aspectos. O Vereador relata no documento que “as crianças ficam à beira de estradas rurais ou rodovias ainda com o escuro, correndo riscos, pois neste horário transitam pessoas diversas, podendo ser de boa ou má índole, sendo assim, estão expostas a todo tipo de riscos. Os veículos escolares faltam e ninguém avisa aos pais e, por vários dias, essas crianças ficam acordando de madrugada, ficando à beira da estrada, correndo riscos e o transporte não aparece; isso se verifica como um grande descaso público aos usuários do transporte escolar. Todas as vezes que se liga ao setor responsável pelo transporte escolar, justificam que os veículos estão quebrados, mas é algo injustificável, tendo em vista que a frota escolar é nova, o município tem um dos melhores maquinários da região (motoniveladoras, pá carregadeira, retro escavadeira, vários caminhões caçamba, tratores, entre outros maquinários novos destinados à manutenção de estradas rurais, entre outras atividades de infraestrutura rural e urbana de incumbência pública)”, afirmou.

Três outros pontos são destacados pelo autor na proposição. “Outro fato a se destacar é que o departamento de transporte não realiza manutenção preventiva, ou seja, usam-se os veículos até quebrarem e posteriormente os encostam, deixando juntar vários veículos baixados para manutenção, fato que deixa o sistema de transporte escolar vulnerável, melhor dizendo, sem veículo para atender a todas as linhas de transporte escolar rural; mais um agravante se verifica quanto aos problemas mecânicos dos veículos públicos que realizam o transporte escolar e as péssimas condições das estradas rurais, que diminuem a vida útil destes veículos e, consequentemente, aumentando o gasto público com manutenção mecânica”, relatou.

O autor do Requerimento ainda afirmou formalmente que “a preocupação dos pais com a falta do transporte escolar é muito grande, pois seus filhos estão sendo prejudicados em termos de aprendizado, sendo assim, apelam por providências do Sr. Prefeito, solicitando que se sensibilize com a situação atual e tome as medidas cabíveis e necessárias em relação ao problema que persiste há vários meses”.

Votação:

A proposição foi aprovada por nove votos a favor (dos Vereadores Leandro Prock Valério, Edwirges Rafael dos Reis, Antônio Leopoldino Dias, Admilson José Ferreira, João Paulo Baena Alves e Creone Pagano Sales e das Vereadoras Heloisa Helena Limoeiro Müller, Lourdes Silva de Souza e Valéria Goulart da Costa) e um voto contra do Vereador Antônio Flávio Fonseca Filho que alertou sobre as críticas, relatando sobre os avanços já realizados no Departamento de Transporte, mencionando o fato de que, “anteriormente, havia um fusca para o transporte de professores e alunos e hoje vemos um avanço muito grande na área”, sublinhou. O Presidente da Câmara Pedro Messias Alves, por força regimental, não vota; somente em casos de empate.

O Requerimento aprovado segue para o Chefe do Executivo para as devidas providências.